segunda-feira, outubro 18, 2010



É como assistir a um bebê dormindo. Quero sempre saber se está tudo bem. Não quero que façam barulho para não assusta-lo. A doçura do seu sono frágil não merece ser perturbada.
É como olhar ondas do mar batendo na costa. O som é bom, a brisa. Às vezes, bate com mais força, assusta. Mas é bom saber que existe uma imensidão, cheia de beleza, vindo ao nosso encontro, em ondas que não param.
É como viajar para um novo lugar. Tem que arrumar a cama, se adaptar aos novos costumes, provar as iguarias. Mas tudo se mostra estranhamente familiar, confortável, harmonioso.
Podia passar horas em metáforas para tentar demonstrar o que sinto. A vontade que tenho é de repetir, para que não haja dúvidas. Talvez, nem precise. Estou aprendendo com ele que queijo e tomates bem picados valem mais que mil palavras.