quarta-feira, junho 19, 2013

Acontece tanta coisa em minha vida e, ainda assim, eu não aprendo. Não aprendo que não dá pra achar a posição perfeita, mais confortável, esperar o momento ideal para tal coisa acontecer.
Minha coluna, belo exemplo, nem depois de eu ter passado por uma cirurgia de 13 horas, ela ainda não é retinha, mas olha, tá me dando um orgulho danado. Antes era bem torta. E foi se entortando mais enquanto eu buscava coragem para operar, e ia empurrando com a barriga e a curvatura só crescia. E o mais engraçado é que não é fácil a espera, não é ficar na zona de conforto. É sofrer com um aparelho que mais parecia tortura medieval. E, ainda assim, ter dificuldade de se mexer.
E agora cá estou, de coluna mais certa, porém ainda torta. Mais torta do que um tortinha. Mas eu fiz o que eu podia. E é esse sentimento, de ter feito o que eu podia, que eu quero sentir. Em tudo. Sobre todos.