terça-feira, abril 05, 2016

Esse post não tem a intenção de convencer ninguém nem de trazer nenhuma lição de vida. Aliás, deus me livre, eu pretendo com ele justamente refletir sobre, inclusive, essa nova doença que nos aflige que é: "Venha para luz, perceba como estou certo."
Eu tenho sentido ultimamente que não podemos gostar de nada sem lançar mão de um discurso sobre "perceba como o que eu acho é melhor". Eu me incluo nessa e por isso, ressalto, esse post não serve para nada além disso, me ajudar a refletir.
Eu sempre escrevi para organizar ideias, clarea-las, coloca-las em uma perspectiva diferente. Só que atualmente, andamos escrevendo demais, postando demais, demonstrando demais. Refletindo de menos.
Por um lado, é excelente, você consegue mostrar para o outro perspectivas que ele não veria sozinho. Por outro, a gente não pode pisar na bola nas reflexões. Quantas vezes eu já escrevi e apaguei posts inteiros, que eu tava precisando colocar para fora, pelo medo de que minha reflexão fosse boba.
Perceba que aqui eu não defendo o direito de "escrever o que quiser", não faço ode ao "que saco o politicamente correto". Apenas estou trazendo minhas considerações sobre: não se pode mais titubear nas opiniões.
Atualmente, eu sinto que só podemos escrever sobre o que, para nós, é o correto e sedimentado. Que reflexões, dúvidas, não são lá muito bem vistas. Que se você perguntar, inocentemente, sobre algo na verdade você é inocente coisa nenhuma, você quer é desqualificar o coleguinha.
Então, não estou vendo muito sentido em andar pela internet. Longe de mim enaltecer o mundo exterior, eu sei que ele tem lá seus defeitos. Mas é que a internet deixou de ser um lugar de discussão para ser um lugar de exposição. Você expõe o que acha e é condenado a esse ou aquele lugar. Não adianta questionar, não adianta ficar lá e cá. E eu não sei, acho isso pouco humano. Eu sou um bolo de células e incoerência. Cês me desculpem, mas eu não tô conseguindo respirar nesse mundo online, não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário