terça-feira, setembro 04, 2012

O tortuoso Caminho

Eu pretendo fazer uma série de posts sobre minha escoliose. 15 anos com ela, já vivi de tudo. Agora, depois de muito relutar, temer, pensar, resolvi operar. Estou me martirizando por ter demorado tanto, mas acho que a vida coloca mesmo a gente pra fazer cada coisa a seu tempo.
Como só poderei fazer minha cirurgia em dezembro, controlarei minha ansiedade dividindo com vocês tudo o que eu já passei com minha escoliose e minha preparação pro grande dia. Mas, meu blog continuará a ter outras coisas também, retomarei esse cantinho que já fez tanto por mim.
Atualmente, minha escoliose tá braba. 89º, segundo raio-x recente, o que é horrível e só dará pra consertar até uns 50º. Daí, vocês se perguntam por que diabos eu deixei chegar nesse estágio. Explico um pouco nesse primeiro post. Um pouco mesmo, porque nem eu entendi até hoje o motivo.

Desde 1997, aos 10 anos, fui diagnosticada com escoliose, algo bem comum para quem passa o dia na cadeira-de-rodas, como eu. Daí, durante o estirão da adolescência, ela surgiu, logo pesada. Minha coluna entortou muito e rápido, parte pro ortopedista já.
De cara, não curti. O médico, experiente, que já havia tratado muita gente da minha família, não foi nem um pouco gentil. Disse que minha escoliose era grave, que eu devia usar aparelho, mas que não ia adiantar, que o certo mesmo era fazer uma cirurgia.
- Mas como é essa cirurgia, doutor? - perguntei, no alto dos meus 10 anos de idade, achando que devia saber.
- É uma cirurgia complicada, dolorosa, pós-operatório ruim, de mais de um mês internada, sob tração, com gesso. Há também um risco grande de infecção, fora o risco de lesão durante o procedimento. O risco de morte, claro, nem se fala.
- Mas e resolve?
- Não tem como saber o quanto. Pode ser que sim, pode ser que você tenha que fazer a cirurgia novamente, pode ser que seu quadro evolua, pode ser que tenha que usar aparelho o resto da vida.
- Tá.
Saí de lá apavorada, mesmo com todo esforço de meus pais para me tranquilizar. Afinal, nunca havia feito uma cirurgia antes, e a abordagem do médico fora a pior possível. Decidi que não faria a cirurgia, que tentaria os aparelhos. Esse fica pra outro post, logo mais.


2 comentários:

  1. É triste que até nessa parte a maioria de nós que temos escoliose temos tb isso em comum em nossa estória de luta(dos médicos serem uns idiotas...isso pra não dizer uma palavrão aqui :/). Será que eles não entendem qu ao falar isso pra nós endo tão jovens estão nos condenando pra sempre? É, pq apesar de termos superado sozinhas isso e partido mais tarde pra cirugia, isso vai ecoar na gente pra sempre né? Sempre me perguntavam tb pq deixei chegar a 80º...eles nos julgam, como se tivéssemos deixado rolar, mas não passaram o que passamos. Não se martirize mais! Vc tomou a decisão certa, e por tudo que já deve ter passado na vida já é vencedora! Já aguardo seu próximo post! Abraços, AnnaLu

    ResponderExcluir
  2. Oi,eu também ouvi tudo isso do meu médico,com um detalhe,ele não me deu nem a opção de escolher,disse que não iria fazer e ponto..kk
    Também,com 110º é complicado,mesmo se ele me desse o poder de escolha,eu não optaria pela cirurgia,deixa eu "tortin" assim mesmo.Mas no teu caso é diferente,ainda dá pra arrumas um pouco.
    Boa sorte e vai na fé.

    ResponderExcluir