terça-feira, junho 29, 2010

Enquanto me esforço ao máximo (?) para continuar a escrever minha monografia, esquento meu pé no ar quente que sai do computador que já trabalha a dias seguidos.
Tá ótimo, Pczinho. Obrigada. Mas é que eu queria mais que isso esquentando meus pés agora. Queria um alguém com braços pra abraçar. Mãos sendo requentadas, roçando umas nas outras, naquele som reconfortante inconfundível, para encostar no meu pé, sempre gelado.
Eu quero a ansiedade boba de quem espera alguém ligar no celular. Eu quero a serenidade de noites insones por estar pensando em alguém. Qualquer coisa do tipo.
"Eu quero a sorte de um amor tranquilo. Com sabor de fruta mordida."

Nenhum comentário:

Postar um comentário