terça-feira, julho 13, 2010

"Que seria de mim meu Deus
Sem a fé em Antônio
A luz desceu do céu
Clareando o encanto
Da espada espelhada em Deus
Viva viva meu santo

Saúde que foge
Volta por outro caminho
Amor que se perde
Nasce outro no ninho
Maldade que vem e vai
Vira flor na alegria
Trezena de julho
É tempo sagrado
Na minha Bahia

Antônio querido
Preciso do seu carinho
Se ando perdido
Mostre-me novo caminho
Nas tuas pegadas claras
Trilho o meu destino
Estou nos teus braços
Como se fosse
Deus menino"

As vezes, não minto, a fé hesita. Treme, chora. Mas renasce em cada alegria, em cada sorriso que Ele me proporciona. E não são poucos. Continua me guiando, meu Santo. Obrigada por tudo.

Um comentário:

  1. Ter fé é a coisa mais magnífica que conheço, basta acreditar que de repente se nota as mãos invisíveis a nos guiar.

    Crer para ver, e não o oposto.

    ResponderExcluir