quarta-feira, dezembro 08, 2010

Era pra eu ter escrito isso desde segunda, mas ando mesmo me arrastando nessa vida. Ando numa de esperar tão forte, sem saber direito o que será do meu futuro profissional, que não me movo, só espero. Claro, nem preciso dizer o quanto isso pode parecer prejudicial.
Para me cobrir dessa certeza, sai o resultado do Exame de Ordem. Meu nome não está lá. Sim, por poucas vezes na minha vida me senti assim, num sentimento de já sabia, com culpa, de resignação, e ao mesmo tempo me sentindo injustiçada. Acho que não preciso dizer que é péssimo. Mas preciso dizer que ter esse bando de sentimento correndo pra dentro de mim foi interessante. Vejo que ainda me sinto, que vejo as dimensões das coisas, que eu não perdi meu jeito de enxergar as coisas que acontecem.
Foi muito ruim, mas não foi o fim do mundo. E isso é importante, eu ver o quanto tenho, quantas vezes já conquistei coisas de primeira, me senti linda e merecedora, quando na verdade deveria me sentir humildemente agradecida. Sem falar de Deus, ou qualquer coisa superior, agradecida a mim mesmo e a quem me cerca, que aguenta firme as coisas e consegue muito, apesar de tudo.
O que mais tem me angustiado é a incerteza e o caos instaurado que agora se apresenta nesse certame. Detesto turbulências. É para perder? Perde. Foi culpa sua, Mila, você não estudou o suficiente, como sempre. É pra passar? Parabéns, Mila, você é inteligente por conseguir aproveitar o conhecimento que chega até você.
Agora, o que não dá para ser é isso aí, sem saber se eu perdi porque a correção foi mesmo escrota e feita irresponsavelmente, e, dessa maneira, vão rever. Ou porque a prova é assim mesmo, e eu devia estar preparada.
Quero saber. É pedir muito?

Um comentário:

  1. Tenho tentado não pensar tanto quando as coisas não dão certo. Esse lance que não se deve levar a vida tão a sério é sério mesmo.

    abraço

    ResponderExcluir